top of page
Buscar
  • Foto do escritorEditora Pendragon

Talk Show do Dragão estagiário. Entrevista com a autora I. B. Miguel


Olá pessoas, o Estagiário mais emocionado que você conhece acaba de chegar e está começando mais um episódio do seu talk show favorito. A nossa convidada de hoje é a autora I. B. Miguel do livro O Cúmulo de Emoções que está em pré-venda na loja da Editora Pendragon.





Seja bem-vinda, Inara! Posso te chamar de Inara? Ou você prefere que eu te chame de I. B. Miguel?


Oláaaa, é um prazer conhecer o estagiário! Pode me chamar de Inara mesmo, na editora todo mundo já é família (⁠ ⁠╹⁠▽⁠╹⁠ ⁠)


Pra começar, a gente quer saber: se você tivesse a ideia de escrever um livro, isso seria o Cúmulo?


Sim, pois estaria desesperada para escrevê-lo antes que perca a vontade. Tudo se amontoa em ideias, explodindo como coxinha no micro-ondas. Vira um vulcão como o borbulhar do caramelo do pudim dentro da panela ou no forno. Então é como água da batata cozida da maionese de domingo escorrendo pelo ralo. Tem que ser rápido, se não a ideia foge e nem dá tempo de engavetar...


Se um estúdio quisesse adaptar os seus contos em uma série estilo Black Mirror, mas com todos os personagens sendo patos, você aceitaria mesmo assim?

Eu teria apenas uma exigência: Tendo o Psicopato como participação especial fazendo papel de algum personagem, com toda certeza.


Entre razões e emoções, qual é a saída?


🎶 É fazer valer a pena. Se não agora, depois, não importa. Por você, posso esperar🎶. Toma uma Frô. (uwu).* 🌷


Qual a maior loucura que você pensou em colocar no livro, mas (graças ao Dragão Ancião) não entrou na versão final?


Teve não... fui eu mesma que exclui um conto da versão final. Olhei pra revisão, vi que não estava nada satisfeita com o resultado, achei que ia ter que reescrever ele todo de novo e iria perder muito tempo apenas corrigindo tudo. Apesar de ser um ótimo conto, preferi não perder tempo e exclui ele alí na revisão mesmo.


Se quem conta um conto, aumenta um ponto, seu livro é cheio de reticências?


Não consigo contar nas mãos as reticências que existem... eu mesma uso muito as reticências, elas servem pra tanta, mas tanta coisa... Então sim... é cheio de reticências...


Você já criou um personagem inspirado em alguém de quem você não gosta e matou ele de forma cruel?


Se eu não gosto, não mato, eu torturo. A morte é um alívio para aqueles que sofreram na vida e não sofreremos mais assim que nossa alma se libertar do corpo. Aquele que sofre eternamente em vida pedirá pela morte incansáveis vezes até que a obtenha, é melhor fazer a pessoa sofrer. Porquê sinceramente, ficar querendo ser um vencedor igual a um boleto (Já que ele sempre vence ;^;), é muito complicado... a vida adulta é complicada e até a hora tudo continua muito complicado. É o que eu coloco em todos os meus livros, então... não, eu nunca fiz isso :3


Se tivesse que criar um microconto sobre você, qual seria?


Um poema em conto, provavelmente um Pássaro em Vertical (de Libério Neves), mais aprofundado e extenso.


Casa, Mata ou beija, com os personagens do livro, quais e por quê?


Bom... os que eu mato eu já matei , hihihihi... Mas beijaria Noah, casaria com Adam e matava a Selyna... é complicado pensar em quem matar, quase todo mundo morreu nos meus contos...


Todos os contos foram escritos para o livro ou já existiam antes?


Já existiam antes! Eu escrevo histórias desde que me conheço por gente e esses são os primeiros contos que eu escrevi pouco antes de entrar totalmente na adolescência, durante ela e de quando me tornei adulta. Eu reescrevi os antigos sem tirar a essência da minha escrita passada, tanto que se um conto para outro é possível ver uma diferença enorme. Apenas uns 4 contos lá dentro são novinhos, escritos para o livro.


Dê um spoiler sem contexto do seu livro:


A pele define a cor do sague junto de Livros, café e chuva. Acordamos pela manhã vendo preto, branco e vermelho e quem está com fome fica surdo até mesmo à voz de Deus.


Você já teve bloqueio criativo? Qual a coisa mais absurda que você já fez para sair dele?


Escrevi uma história sobre um autor em bloqueio criativo pra sair do bloqueio... e fiquei com bloqueio de novo.


Qual dos contos você recomendaria para um Contador?


Recomendaria três, Aquilo Que Chamo de Liberdade, 18/08/2020 e Sensações. Por simplesmente a forma poética com que os dois primeiros foram feitos e o resultado deles é maravilhoso. A graciosidade de como fluiu para mim pro papel foi satisfatório e espero que seja assim na leitura também. E o último pela simples vontade de fazer pessoas chorarem mesmo.


E por último, mas não menos importante, dentre os contos de O Cúmulo de Emoções, qual o seu favorito e por quê?


Aquilo Que Chamo de Liberdade... o motivo é: você vai ler sobre um pássaro, ver na visão dele o que parece liberdade... sobre como é essa sensação de estar livre, o que enxerga apenas numa simples manhã. É muito mais que uma forma poética de enxergar a liberdade, por conta das metáforas, palavras que não deveriam estar ali e podem mudar o sentido das coisas, se torna um conto com inúmeras interpretações... e além disso... eu escrevi esperando que alguém me veja liberta finalmente de todas as amarras que me limitavam no passado.


O que acharam do livro e dessa autora maravilhosa? Digam aqui nos comentários!







Inara B. Miguel

Autora Pendragon

Adquira seu exemplar na loja

https://www.lojapendragon.com.br/fantasia/livro-o-cumulo-de-emocoes

32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page