top of page
Buscar
  • Foto do escritorEditora Pendragon

Talk Show do Dragão estagiário. Entrevista com Nathália P. Andrade autora de Tocada Pelo Sol

Atualizado: 22 de nov. de 2022


Se você olhar para a esquerda, irá ver um belíssimo quadro do seu apresentador/Estagiário/dragão favorito, com os dizeres logo abaixo: FUNCIONÁRIO DO MÊS!





Mas deixando isso de lado, por alguns instantes, vamos para a nossa entrevista! A convidada de hoje neste digníssimo talk show já é de casa, presença cativa nas matérias do blog! Hoje a autora Nathália P. Andrade vai responder as perguntas que o povo quer saber sobre o seu livro Tocada Pelo Sol, que está em pré-venda na loja da editora Pedragon.


Seja bem-vinda, Nathália e parabéns pela publicação! Como você é minha amiga de longa data (desde o mês passado), eu queria começar a entrevista com uma pergunta mais séria: O nome da sua protagonista é Aisha porque ela se Aisha melhor que os outros?


Nossa e eu achei que nossa amizade de longa data ia me dar privilégios! A Aisha não se acha, mas assim, os outros literalmente “acharam” ela! Por ter sido encontrada quando bebê com os poderes da Lua e da profecia, motivos que não faltam pra ela se achar...mas ela é humilde, confia.


Você se lembra onde estava quando surgiu a ideia de escrever Tocada Pelo Sol?


Eu me lembro que estava sentada na sala de aula da faculdade (em qual aula você me aperta, até porque se fosse boa eu não teria viajado para começar) e aí pensei...essa história de Sol e Lua se apaixonarem é tão antiga e tão mal contada, quero contar de novo!


Se um estúdio quisesse adaptar seu livro para um musical cantado pela Rebecca Black (sim, aquela de Friday), você aceitaria?


Eu diria que não, mas... eu amo musicais, se eu pudesse escolher as músicas (e se fosse um estúdio digno) por que não?

Dentre os personagens de Tocada pelo Sol, qual é o seu favorito?


Essa pergunta tão repetida me pegou no pulo porque eu não costumo fazer diferença entre os filhos sabe ( sim, meus personagens são como bebês para mim, cuidado ao falar deles hein), mas eu diria que em Tocada pelo Sol eu teria que dizer que a Átemis é a favorita. Não porque ela é legal, ou gentil ( porque na verdade ela é um pé no saco da Aisha, quem leu sabe), mas ela é a única que realmente desafia a protagonista e a trata como mais do que A Imperatriz Poderosa perfeita.





Pelo que sei, tem dois irmãos gêmeos que podem ser interpretados como o Sol na profecia. Tendo em vista que há dois sóis, o segundo sol realmente chegou para realinhar a órbita dos planetas?


Acho que se fôssemos olhar da perspectiva astronômica, de fato ( a qual realmente meu livro foi inspirada ( para quem não sabe sou uma pessoa muito científica) creio que a chegada de mais um sol em determinada órbita só pode significar um aumento do aquecimento no determinado relacionamento dos astros próximos (mais chance de tudo pegar fogo mais rápido).


Qual a maior loucura que você pensou em colocar no livro, mas (graças ao Dragão Ancião) não entrou na versão final?


Olha eu queria fazer os tigres ronronarem ( dicas de passagem, tem animais selvagens no livro que Aisha adora). Infelizmente, essa proposta não passou nem da revisora porque aparentemente tigres não são gatos e eles só “rosnam” e nada mais.


Com essa coisa de ser tocado pelo sol, você diria que seus personagens têm uma relação quente?


Sim e também não! A morte eminente aguarda a protagonista quando o sol a tocar, então a frieza com que ela tenta afastá-los é tão consistente que em determinado momento acho que os leitores vão torcer para ela morrer logo só para ver o romance de fato se concretizar. No entanto, o toque é só o final, antes dele, as trocas de olhares e de farpas são definitivamente o aquecimento.

Você já criou um personagem inspirado em alguém de quem você não gosta e matou ele de forma cruel?


Lógico que não! Amo todos os personagens que eu mato, sendo eles assassinados de forma cruel ou não!


Protetor solar de que fator é preciso usar para ler seu livro?


Aconselho o fator máximo. Principalmente ao passar da metade do livro, geralmente é aí que os leitores começam a queimar de ansiedade.


Casa, Mata ou beija, com os personagens do livro, quais e por quê?


Eu casaria com a Krishina, porque eu realmente queria alguém para colocar lavanda no meu banho todos os dias. Eu beijo o Sol ( infelizmente vocês ainda não sabem qual deles é e como uma boa pessoa não posso dar Spoiler) e eu mato a Rainha de Tamarã porque, sinceramente, teria feito um pouco da vida da Aisha mais fácil.


Em termos de sol, você acha que seu livro é sol alegrias ou sol lamentos?


Nenhum dos dois (haha) é um livro com partes leves e agradáveis, mas os lamentos são muitos. Eu aviso, de verdade, pessoas com pouca tolerância a mortes eminentes, por favor, tomem cuidado! Nesse livro as pessoas realmente se queimam.


Com toda essa questão de que tocar o sol é potencialmente fatal (não só para personagens, mas para seres humanos também) o elenco vai estar muito desfalcado na continuação do livro?


Acho que eu não diria que estará “desfalcado”, mas com certeza vai estar “mudado”.


Dê um spoiler sem contexto do seu livro:


“Seu colar pendurado no meu pescoço, aquela noite que não conseguíamos bem esquecer, quando decidimos, tirar tudo do caminho para podermos dançar, baby, como se fôssemos conseguir, dois aviões de papel voando... E eu me lembro de ter pensado, já estamos fora de perigo? Já está tudo resolvido?” _ trecho da música Out of the wood, a primeira que me inspirou a fazer o romance do livro.


Você já teve bloqueio criativo? Qual a coisa mais absurda que você já fez para sair dele?


Bom, sendo bem honesta os bloqueios criativos não acontecem muito comigo. Mas quando vêm eu tenho que imediatamente ouvir todas as musicas da playlist que eu elaborei do livro até ter ideias pra continuar. Uma vez, eu ouvi uma música trilha de um dos meus livros mais de 72 vezes e o Spotify veio me parabenizar dizendo que ela foi a música mais tocada de todos os tempos da minha conta.


E por último, mas não menos importante, escreva um discurso de agradecimento como se fosse o caçador de Mahle da sua história:


“A todos vocês que não acreditaram na profecia, principalmente na ultima estrofe, eu tentei lhes dizer. Podem julgar e me criticar o quanto quiserem, mas tudo que fiz e que continuarei fazendo é pelo bem maior do meu reino e da minha família. Cumprirei aquilo que diz as escrituras porque só assim, meu lar estará seguro. Aqueles que superprotegeram Aisha e a impediram de aprender a realmente se defender, vocês apenas facilitaram o que já era inevitável. Como eu disse antes, eu não faço tentativas de abater, eu abato”

_ caçador de Mahle, o imortal.


Uau! Gostou da entrevista? Interessou pelo livro?! Comenta aqui com a gente!






Nathália P Andrade

Autora de "Tocada pelo Sol"

Para adquirir o livro na loja clique no link abaixo

57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page