top of page
Buscar
  • Foto do escritorEditora Pendragon

Talk Show do Dragão estagiário. Entrevista com o autor do livro Entre Sonhos e Pesadelos




Hora de espantar o sono, pois estamos começando mais um Talk Show do Dragão Estagiário! Hoje fazendo o Nicholas Peres responder as perguntas mais essenciais sobre seu novo livro.


Seja bem-vindo e parabéns pela publicação!


Para começar, o seu livro tem o título de Entre Sonhos e Pesadelos, isso quer dizer que igual ao sono, a gente precisa de no mínimo oito horas diárias dele pra ter uma vida saudável?


Pode ter certeza que oito horas diárias do meu livro vão dar uma guinada na sua vida, principalmente se o seu lar estiver aberto a receber uma visitinha em algum momento. Mas não se preocupe porque ela aparece só depois de dez dias. Então pode dormir tranquilo, se você conseguir, é claro.


Se um estúdio quisesse adaptar o seu livro para uma peça de teatro musical, você aceitaria?


Aceitaria! Principalmente se o fundo musical fosse composto pelas vozes de todos os personagens que não tiveram tanta sorte na minha história. Eles precisam de uma razão pra existir e acho que dariam um coro bem vasto e espetacular.


Se você tivesse que dividir os protagonistas dos contos em "Team Sonho" e "Team Pesadelo", quais iriam para cada time?


Vou selecionar meus favoritos, porque o que mais tem no meu livro são protagonistas:

1 - Olívia: acho que ninguém gostaria de passar pelos inconvenientes que ela passou, principalmente aqueles que já sofrem com alergias na pele. Team Pesadelo.

2 - Erick: se trouxermos pra um momento específico da vida real o que ele quase conseguiu fazer, tenho certeza que traria realização pra muita gente por aí. Team Sonho.

3 - George: nem as crianças são poupadas nesse livro e o que o George foi obrigado a fazer, depois de ganhar sua casa de bonecas, deixaria qualquer um isolado num canto chorando em posição fetal. Team Pesadelo.

4 - Joaquim: muito gentil com a natureza e exemplo para qualquer floricultor que se preze. Team Sonho.

5 - Tomas: esse é um cara que jamais vai praticar luta na vida, porque a potência do soco que ele por pouco conseguiu evitar foi de meter medo até nos lutadores de UFC. Pena que o seu acompanhante acabou levando a pancada no lugar dele. Team Pesadelo.

6 - Eduardo: pensou num cara disciplinado? Multiplica por dez. O desejo de qualquer patrão é ter um funcionário que nem ele. Team Sonho.


Qual a maior loucura que você pensou em colocar no livro, mas (graças ao Dragão Ancião) não entrou na versão final?


Eu ia envolver muito mais coisas na história, como uma menininha de um poder surreal que fez uma coisa meio absurda com a própria mãe. A trama envolvia um grande interesse em ballet, uma caixinha de música e muito vapor, mas eu não tinha ideia de como encaixar tudo isso de um jeito que fizesse sentido no panorama geral, sem falar que já tinha bagunçado a vida de tantos outros pobres coitados que acabaram, por azar, caindo nas minhas mãos, que achei melhor deixar ela de fora. Mas quem sabe no próximo livro, né?


Vi que tem uma personagem florista na história, mas também há outros personagens. Isso significa que nesse livro nem tudo são flores?


Nem tudo são flores no meu livro e as que aparecem não são exatamente normais ainda por cima. Já ouviu falar de rosas que curtem ouvir uma musiquinha de vez em quando? Nem eu.






Você já criou um personagem inspirado em alguém de quem você não gosta e matou ele de forma cruel?


Eu não consegui escapar de fazer isso, mas não fui eu que matei ele e sim ele que acabou se matando sozinho. Longe de mim sujar as mãos por tão pouco.


Na história existe uma criatura que persegue os personagens. Ele faz isso stalkeando o Instagram também?


Com certeza! Principalmente daqueles que não omitem os seus maiores medos. Minha criatura ama e é muito criativa quando se trata dessas coisas, e sempre que ela consegue as informações de que precisa, abre um lindo sorriso, ainda que um pouco babado, com todos seus dentes pontiagudos e brilhantes à mostra. Talvez seja uma boa tomarem um pouco de cuidado com isso.


Qual o melhor passo de dança para sair do bloqueio criativo?


A dancinha do robô! Quanto mais mecânicos e travados seus movimentos, como aqueles de uma certa contorcionista de um certo conto aí, mais destravada a sua mente ficará, driblando o bloqueio criativo.


Compartilhe com a gente um sonho e um pesadelo:


Um sonho é ver meus leitores se descabelando com as teorias a respeito de Entre Sonhos e Pesadelos sem esquecerem de compartilhá-las comigo.

Um pesadelo seria eu perder minha capacidade de escrever por algum motivo. (Seria um insight pra algum outro conto?)


Dê um spoiler sem contexto do livro.


Acho que uma ambientaçãozinha cairia bem aqui. Lá vai.

Imagine a si mesmo abrindo a porta da casa de uma pessoa muito importante pra você. Está super escura por dentro porque as janelas, todas, estão vedadas com tábuas, a energia foi cortada e o dia está chegando ao fim. Você fica preocupado, mas tudo parece estar abandonado mesmo e decide voltar outra hora. Está prestes a cair fora, mas escuta algo se quebrando em algum outro cômodo.

Caminha em direção ao barulho, chamando pela pessoa, mas ninguém responde. Você se sente enjoado porque descobre que, sobre a mesa da cozinha, tem pedaços de carne apodrecida e o cheiro é quase insuportável. Você fecha a porta pra evitar por tudo o que tem no estômago pra fora, e, dessa vez, o barulho de algum móvel sendo arrastado te leva até um dos quartos da casa.

Ali é mais escuro ainda, porém você reconhece a voz da pessoa a quem estava procurando. Ela diz:

— Sangue… e carne. Gosto de sangue e gosto de carne.

Essa é uma das partes que eu mais gostei de criar em todo o livro e é daqui que surge uma tal de 'panelada icônica'.






Nicholas Peres

Autor Pendragon

Obtenha o livro no link



36 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

留言


bottom of page