top of page
Buscar
  • Foto do escritorEditora Pendragon

Triângulos amorosos na literatura

Junho é o mês mais romântico do ano, não é mesmo?






Quem não aguarda ansiosamente por 12 de junho, mais conhecido como dia dos namorados? Uma atmosfera tão bonita que deixa o nosso coração quentinho e nos contagia.

E para falar de todos esses assuntos de amor, nada melhor do que falar do velho clichê literário, o triângulo amoroso. Afinal, quem nunca ficou dividido entre torcer por um casal ou pelo outro?


Do clássico trio Capitu, Bentinho e Escobar, de “Dom Casmurro”, que causou um dos maiores enigmas da história da literatura (afinal, Capitu traiu ou não Bentinho?), até a saga de fantasia “Crepúsculo” com o trio Bella, Edward e Jacob. Alguns suspiravam pelo vampiro disposto a morrer para proteger a mocinha. Outros, pelo lobisomem disposto a tudo para ter o coração da amada. E cito aqui esses dois casos que marcaram gerações, mas claro que há inúmeros outros exemplos.


Agora, vou apresentar um triângulo pelo qual tenho muito carinho. Trata-se de Rodrigo, Isabella e Laura, personagens do meu livro de fantasia “As Crônicas de Hannah – A Chave de Mizi”.


O livro conta a história de Rodrigo e duas irmãs, que descobrem um mundo mágico onde habitam seres do folclore brasileiro. Os três precisam cumprir uma missão.

Rodrigo vai encontrar duas jovens durante a sua jornada. Primeiramente, conhece Laura, uma mulher guerreira, corajosa e que não tem medo de dizer o que pensa. A princípio, não se darão muito bem, mas depois uma amizade vai surgir e talvez algo mais...

Logo depois, Rodrigo conhece Isabella, uma jovem misteriosa e sarcástica que vai atiçar sua curiosidade. Entre o medo e admiração, ela vai balançar seu coração e desafiá-lo.

O nosso protagonista ficará com o coração dividido. E há muito mais por trás desse triângulo amoroso... Mas, vou deixar vocês na curiosidade.

Para terminar, trago aqui algumas curiosidades sobre triângulos amorosos formados por escritores. Afinal, nem somente os personagens ficam com o coração dividido...


Edgar Allan Poe, Virginia e Frances Osgood: No século XIX, Poe conheceu Frances enquanto sua esposa Virgínia estava doente. Então, começaram um relacionamento extraconjugal, que entre outras coisas provocou uma intensa troca de poemas românticos publicados pelo escritor em seu Jornal.


Charles Dickens, Catherine Hogarth e Nelly Ternan: Charles era casado com Catherine, mas a traiu com a jovem escritora Nelly após anos de casamento. O autor ainda teria vivido obcecado pela irmã mais nova da esposa que veio a falecer precocemente.


Euclides da Cunha, Anna de Assis e Dilermando de Assis: A esposa de Euclides, Anna, era amante de um jovem cadete chamado Dilermando, com quem teve dois filhos. Em 1909, Euclides entrou na casa de Dilermando disposto a assassiná-lo, mas acabou sendo morto por ele. Anna acabou se casando com Dilermando.


E quem mais sofre com os triângulos são os leitores! Afinal, nem sempre nosso casal favorito fica junto. Qual livro com triângulo da Pendragon que você já leu?






Margarida Marcos

Autora Pendragon

104 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page