A obstinação e a resiliência...

March 30, 2016

 

 

Em certo dia, à hora, à hora
Da meia-noite que apavora; Eu, caindo de sono e exausto de fadiga,
Ao pé de muita lauda antiga; De uma velha doutrina, agora morta,
Ia pensando, quando ouvi à porta do meu quarto um soar devagarinho,
E disse estas palavras tais: "É alguém que me bate à porta de mansinho;
Há de ser isso e nada mais."


O corvo. Edgard Allan Poe. Tradução: Machado de Assis.

 

Olá leitores da Editora Pen Dragon, tudo bem com vocês? Aqui novamente quem vos fala é o Allison RdS... No post de hoje resolvi falar sobre dois substantivos/aspectos/sentimentos muito importantes: a obstinação e a resiliência... Até que ponto estes dois aspectos afetam a vida de todos os apaixonados pela escrita? Até que ponto afetam a sua vida?


As definições encontradas nos dicionários são simples, obstinação: forte apego às próprias ideias, persistência, perspicácia, teimosia, birra... Resiliência: capacidade em lidar com problemas, habilidade de recuperação após uma negativa.


O trecho citado acima é de um obstinado escritor americano, autor que criou o gênero de literatura policial durante o século XIX e que mudou a forma como as pessoas reagiam ao lerem um novo livro. “O corvo” foi conto que o consagrou como um grande escritor, mas, até conseguir

a consagração, o quanto Poe foi obstinado em acreditar em sua capacidade e na qualidade de seu trabalho? Quantas portas foram fechadas e quantas negativas enfrentou durante sua jornada como escritor? Alguns livros que contam a vida de Poe, dizem que foram inúmeras devoluções, inúmeros: “Sinto muito, mas não é o que estamos procurando no momento...” Até conseguir publicar pequenas colunas e contos em jornais americanos foi bastante demorado. 


E se Poe tivesse desistido com o tempo? E fosse menos resiliente e não desse a famosa “volta por cima”? O que seria dos autores de romances policiais e de terror? Agatha Christie e de Arthur Conan Doyle se inspirariam em quem? Poirot e Sherlock Homes nunca teriam sido criados? O que seria de nós sem a sua referência? 


Ainda bem que nunca precisaremos pensar nestas respostas, abençoados sejam a obstinação e a resiliência de Poe e de tantos outros grandes escritores que acreditaram no que faziam e principalmente na qualidade do que faziam. E assim como eles, também temos que acreditar em nossos ideais e não deixar que as dificuldades do dia a dia nos impeçam de realizarmos nossos sonhos. Se Poe e tantos outros insistiram, temos o direito de nos acovardar ante algumas dificuldades? Até mais e um grande abraço a todos...

 

AllisonRdS 
 

Please reload

Colunas
Posts Recentes