Discordianismo - A Religião do Caos

April 11, 2016

As religiões e filosofias de todo o mundo sempre buscam a compreensão de tudo, ou pelo menos o bastante para que se sintam aliviados das questões existenciais que cercam o ser humano por diversos motivos, sejam estes por simples curiosidade ou até mesmo o medo. No entanto, em meio a ser esse mar de questionamento que existe desde o início da humanidade, eis que surge uma religião no fim dos anos 50 com uma proposta diferente do que se entende por religião.

Religião esta que tinha como proposta o Caos, uma seita baseada em que nada é verdadeiro, o sentido e ordem não existe e a melhor maneira de se viver é por meio da confusão.

 

 

 

 

Origem e outras explicações

 

Discordianismo é uma religião baseada na adoração de Eris (também conhecida como Discórdia), a deusa greco-romana do caos. Essa seita foi fundada em algum momento entre 1958 e 1959, após a publicação do seu primeiro livro sagrado, o Principia Discordia, escrito por Malaclypse the Younger e Omar Khayyam Ravenhurst, depois de uma série de alucinações compartilhadas em uma pista de boliche. 

 

 

 

A religião já foi relacionada ao Zen, baseada em similaridades com interpretações absurdistas da escola Rinzai. O discordianismo é centrado na ideia de que ordem e desordem são ambas ilusões impostas no Universo pelo sistema nervoso humano, e que nenhuma dessas ilusões de aparente ordem e desordem é mais acurada ou objetivamente verdadeira do que outra.

 

O discordianismo é por vezes considerado uma religião paródia (muitos conspirólogos chamam o discordianismo de piada disfarça de organização, mas os discordialistas contra argumentam e dizem que se trata de uma organização disfarçada de piada). Embora exista disputa sobre a que grau isso é verdade. Discordialistas usam humor subversivas para divulgar sua filosofia e evitar que suas crenças se tornem dogmáticas. É difícil estimar o número de discordialistas porque não lhes é exigido ter discordianismo como único sistema de crenças, e porque há incentivo a criar cismas e cabalas. 

 

Simbolo da Seita

 

Não há consenso entre os membros, na verdade a maioria não se conhece, pois, para eles qualquer pessoa pode ser um discordialista, até mesmo você. Sim, muitas pessoas não sabem que são, mas para fazer parte dessa seita basta apenas você compartilhar desse sentimento confuso de alguma forma, como por exemplo, semeando discórdia entre seus amigos, ou até mesmo desorganizando os livros de sua sala. Claro que um discordialista leva isso a proporções maiores, mas em defesa do culto, eles tentam  abster-se de propagar suas crenças após serem pegos, por exemplo, depois de um atentado terrorista. Mas, a maioria dos membros é pacífica atendo-se apenas a telefonar para sua casa a fim de causar alguma intriga entre os familiares.

 

Organização

 

 

 

Introdução da quinta edição dos Principia Discórdia:

 

"Se religiões organizadas são o ópio do povo, então religiões desorganizadas são a maconha da turba lunática". — Kerry Thornley.

 

A mera ideia de uma organização Discordiana é uma contradição. Ainda assim, alguma estrutura é indicada no Principia Discordia. O grupo mais geral, presumivelmente incluindo todos os Discordialistas (e potencialmente outros também), é a Sociedade Discordiana, cuja definição é "A Sociedade Discordiana não tem definição" (Principia Discordia, página 00032). Dentro da sociedade existem sectos do Discordianismo, cada um sob a direção de um "Episkopos" ("supervisor" em Grego), que recebe direções diretamente de Eris, presumidamente via sua glândula pineal.

 

"Algumas Episkoposes têm uma cabala de uma pessoa.

Algumas trabalham juntas.

Algumas nunca explicam." — marginália dos Principia Discordia, página 00032.

 

Discordialistas que não formam seu próprio secto, quer participem do secto de outra pessoa ou não, fazem parte da Legião da Discórdia Dinâmica, e podem ser chamados de Legionários. Os que querem ser Discordialistas são informados na página 00032,

Se você quer entrar para a Sociedade Discordiana

então declare você próprio o que deseja

faça o que quiser

e conte-nos sobre isso

ou

se preferir

não.

Não existem regras em lugar algum.

A deusa Prevalece. 

 

POEE

 

O secto do Discordianismo fundado por Malaclypse The Younger e Omar Khayyam Ravenhurst é conhecido como o Paratheo-anametamystikhood Of Eris Esoteric (POEE), uma Desorganização Não-Profética Irreligiosa, e os Principia Discordia nos fala muito sobre a POEE em particular, assim como do Discordianismo em geral.

Por Exemplo, página 00022 contém — junto com uma citação copiada a mão por Lichtenberg: "Este livro é um espelho. Quando um macaco olha, não vê um apóstolo do outro lado." — alguns detalhes sobre a estrutura da POEE. Em particular:

a POEE tem 5 DEGRAUS:

O Neófito, ou DISCÍPULO LEGIONÁRIO.

O DIÁCONO LEGIONÁRIO, que está aprendendo.

Um PADRE/MADRE ordenado ou CAPELÃO da POEE.

O SUMO-SACERDOTE, O Polipadre.

E POEE =PAPA=.

 

"Discípulos Legionários da POEE estão autorizados a iniciar outros como Legionários da Sociedade Discordiana. Padres escolhem seus próprios diáconos. O polipadre ordena Padres. Eu não sei sobre os papas." — Malaclypse the Younger, Principia Discordia, página 00022.

 

De acordo com os Principia Discordia, POEE é "uma tribo de filósofos, teólogos, mágicos, cientistas, artistas, palhaços e maníacos similares que estão intrigados com Eris deusa da confusão e suas travessuras." Além disso, diz que "POEE aceita a Lei dos Cinco do secto de Omar" e "POEE também reconhece o número sagrado 23."

 

Paratheo-anametamystikhood pode ser traduzido como "deidade equivalente, revertendo além-místico", que pode ser interpretado como "todas as deidades são equivalentes, não há grande mistério nisso."

 

Papas no Discordianismo

 

De acordo com a página 00036 dos Principia Discordia, um papa é "cada homem, mulher e criança na Terra."

 

Incluído nos Principia Discordia há um "cartão de PAPA oficial" (página 00036) que pode ser reproduzido e distribuído livremente. Porém, o Papado não é dado através da possessão desse cartão — ele serve simplesmente para informar às pessoas que alguém é um Papa da Discórdia genuíno e autorizado.

 

Apesar de os poderes de um Papa não serem necessariamente enumerados nos Principia, podemos ter alguma ideia disso a partir de uma nota no cartão que diz, "Um PAPA é alguém que não está debaixo da autoridade das autoridades." Alguns Discordialistas se deram ao trabalho de elaborar mais sobre os poderes de um Papa. Atrás de alguns cartões Papais, a seguinte mensagem pode ser encontrada:

 

"Os direitos de um PAPA incluem, mas não se limitam a:

1.      Invocar infalibilidade a qualquer momento, inclusive retroativamente.

2.      Reformar completamente a igreja Erisiana.

3.      Batizar, enterrar, e casar (com a permissão do falecido nos últimos dois casos).

4.     Excomungar, desexcomungar, reexcomungar, e desreexcomungar tanto a si mesmo quanto a outros.

5.      Efetuar qualquer rito e função considerada inapropriada para um Papa de Discórdia."

 

O terceiro direito (precisar de permissão do falecido em casos de enterro ou casamento, mas não de batismo) pode ser uma referência à prática da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias de batismo dos mortos. Também pode ser uma referência de que casamento é equivalente a morte.

 

Esse entendimento da noção de Papa tem grandes consequências no Discordianismo. Por exemplo, a introdução dos Principia Discordia diz que "Só um Papa pode canonizar um Santo. […] Então você pode ordenar a si próprio — e qualquer um ou qualquer coisa — um Santo." O último dos direitos enumerados de um PAPA pode ser uma alusão ao "necessary and proper clause" da constituição dos EUA.

 

Uma versão feminina, com a palavra Mama em vez de "Papa", também foi promulgada; porém a versão neutra ainda não foi escrita. Sexos alternativos vão precisar de modificações adicionais das regras imaleáveis.

 

Conclusão

 

 

 

O discordianismo é impossível de ser explicado, aliás se fosse possível seria apenas mais uma seita sobre a compreensão do mundo, muitos afirmam que ele veio a se contrapor a esse pensamento. Logo qualquer coisa que você ler sobre esse tema, até mesmo esse texto, não será de grande relevância, e como diz o segundo mandamento do Princípio Discórdia: "Um discordialista é proibido de acreditar naquilo que lê".

 

 

 

 

Please reload

Colunas