Soneto da Culpa

April 13, 2016

 

 

Estou de volta e escolhi mais uma poesia minha para dividir aqui com vocês, é uma poesia bem velha (eu gosto de colocar as datas, porque vai dar pra ver as modificações que eu tive ao longo dos anos na minha produção) e foi o primeiro soneto que eu escrevi na minha vida. Não é uma forma que eu tenha muito domínio (e eu admiro MUITO mesmo quem domina!), porque não é fácil.

 

Poesia é muito complexa de escrever, eu realmente tenho mais facilidade em escrever prosa, o que pode até parecer estranho, já que costuma ser bem mais longo, mas eu acho que aquela fórmula de 10% inspiração e 90% transpiração foi exatamente pensado em poesia...  E ao mesmo tempo, quando eu tive mais facilidade em escrever poemas, foi quando eu só me debruçava sobre o papel de deixava as palavras correrem até o fim.

 

Viu? Escrever infelizmente não tem mesmo uma fórmula...

 

Bom, vamos ao soneto.

 


Poesia de 04 de março de 2004 (quinta feira)



Soneto da Culpa

Por mais que venha a vontade
Por mais que eu queira ajudar
Sempre me falta coragem
E é o que me faz recuar.

Há tanta gente esperando
Que eu tenha, nós tenhamos solução
Então, eu me vejo chorando
Por não responder a questão.

Até me sinto culpada
Por realmente não dar atenção.
Viver de alma lavada,

Vivendo de extrema ilusão,
Vivendo de forma apagada,
Enquanto outros, em intensa escuridão.

Please reload

Colunas