Ser escritor

April 27, 2016

 

 

Um escritor nasce ou ele encontra o caminho de escrever? Essa é uma pergunta que muitas vezes eu me faço, desde quando eu me arrisquei pela primeira vez a escrever um romance.

 

Eu era leitora voraz de Pedro Bandeira e apaixonada pela série "Harry Potter" quando comecei a escrever meu primeiro livro, "As Canetas Mágicas - O Mistério do Xadrez".

Era uma coisa simples, no começo, não sei nem se era pra ser um livro (como a maior parte das minhas criações nasce). Uma história sobre quatro adolescentes (como os Karas), que encontram um baú com canetas fora do comum (uma coisa ligada ao universo de um escritor, não é? Quem não desejaria uma caneta mágica?).

Este é o cenário que nasceu logo no começo, mas eu ainda não era muito escritora nesse período para conseguir transpor as barreiras do enredo e deixei a história parada por 4 anos até me sentir pronta para continuá-la.

Quando consegui novamente me debruçar sobre ele, percebi o que estava faltando: meus quatro protagonistas eram jovens demais para solucionar um problema tão grande sozinhos, assim como eu... eles precisavam de um guia, alguém que os levasse a encontrar as respostas e os tornasse heróis de uma saga... alguém que nos guiasse pelo caminho até o fim da história.


Ainda hoje, eu sei que tem muitas coisas que eu tenho de arrumar nas "Canetas Mágicas", mas eu tenho ideias para pelo menos mais dois livros com elas que estão só me esperando para ficar pronta para eles: "O Detetive Misterioso e O Amor de Carolina...".

Eu espero conseguir escrevê-los logo... Ser escritor é viver dessa incerta inspiração que pode nunca chegar...

 

Mas isso é assunto pra outro dia...

Tags:

Please reload

Colunas
Posts Recentes