TAG: 5 livros que superaram minhas expectativas

July 18, 2016

 

 

1 – O hobbit.

Eu assisti ao primeiro Senhor dos Anéis sem ter lido nenhum livro do Tolkien e depois disso um colega de cursinho disse para eu ler todos os livros disponíveis e me instruiu a começar pelo O Hobbit. Segui o conselho esperando um livro meio sem graça já que os hobbits pareciam crianças bobas no primeiro filme da trilogia. E foi pro isso que eu me surpreendi, Bilbo Bolseiro me deixou boquiaberto ao matar aranhas gigantes, lutar contra goblins e orcs sem ser um estorvo para os anões. Acabou se mostrando muito útil ao grupo de aventureiros. Vale ressaltar que a batalha dos cinco exércitos foi o meu primeiro contato com batalhas campais na literatura e me deixou bem tenso e emocionado.

 

2 – Encarnação de José de Alencar

Livro que eu fui obrigado a ler por causa de trabalho escolar e era muito difícil que eu lesse algo na época do colégio. Pensei que seria só mais romance nacional chato e idiota (na minha cabeça vazia de adolescente todos eram). Me surpreendi com toda a tensão criada em torno das figuras e manequins que haviam na casa de Hermano e ao final eu fiquei torcendo para que não fosse um romance trágico e que o casal terminasse junto.

 

3 – Macunaíma

Livro que novamente fui obrigado a ler, desta vez por causa de vestibular. Mais um livro chato de índio apaixonado, pensava eu. Já não basta ter que aturar o Márcio Garcia falando um português melhor que o meu? Fiquei espantado com o nosso herói sem nenhum caráter. Não era todo dia que se via um índio que “brincava” com a própria cunhada, se vestia de mulher pra enfrentar um gigante e percorria todo o território nacional correndo como se não houvesse amanhã.

 

4 – A Batalha do Apocalipse

Mais um livro nacional nesta lista, sim eu tinha um preconceito enorme com literatura nacional e sei que muitos ainda tem, mas a verdade é que muita gente escreve coisa boa por aqui. Este livro eu não fui obrigado a ler. Vi um colega de faculdade com ele em mãos, anotei o nome da obra e o nome do autor, Eduardo Spohr. Tive a impressão que não era nacional de tão bom que achei a narrativa, pensava: Spohr, este sobrenome não deve ser brasileiro, está bom demais pra ser nacional. Felizmente era nacional sim e eu estava apenas exercendo nosso complexo de vira-lata.

 

5 – Convite para um Homicídio

O livro mais importante a passar na minha vida, na época que eu só lia se fosse obrigado e foi este romance policial da nossa rainha do crime, Agatha Christie, que me fez tomar gosto pela leitura. Nunca fui um viciado em literatura, um leitor voraz, mas se hoje em dia gosto de ler e crio minhas próprias histórias para contar para vocês foi por ter visto neste livro como que a literatura era tão emocionante e marcante quanto o cinema.

 

 

 

 

Please reload

Colunas
Posts Recentes